Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

9 Tendências Tecnológicas da Próxima Década

Lucas Madalosso

Lucas Madalosso

Com o desenvolvimento tecnológico a cada ano mais veloz e com o digital cada vez mais presente em nossas vidas, a próxima década pode representar uma grande disrupção nas empresas. Aqui neste artigo retratamos 9 grandes tendências.
Foto de Tyler Lastovich

Você já entende quais as principais tecnologias que vão impactar seu negócio num futuro breve?

Na minha opinião elas são:

1. Inteligência Artificial
2. Machine Learning
3. Big Data
4. Internet 5G
5. Cloud Computing
6. IOT
7. Edge Computing

8. Quantum Computing
9. Voice Search
10. Robótica
11. Biotecnologia
12. Nanotecnologia
13. Neurociência
14. Energia.

O que isso tem a ver com o meu negócio?

Olhar para outros mercados e tendências é fundamental, pois nos últimos anos a inovação/disrupção vem de onde menos imaginamos, e normalmente quem as traz não são os concorrentes atuais.

Também não estou dizendo que devemos nos tornar programadores/desenvolvedores de software, mas sim, que enquanto empreendedores e profissionais, trata-se de entender o campo de possibilidades/oportunidades que essas tecnologias abrem, bem como, o impacto delas nos nossos negócios.

Devo me preocupar com isso agora?

O objetivo é tomar decisões inteligentes, especialmente ao entender o timing certo de cada tecnologia em relação ao seu negócio (curto, médio ou longo prazo).

Alerto para o cuidado com o pensamento linear e gestão com olho no retrovisor. A exponencialidade da tecnologia (aumento de velocidade e redução de custo) pode mudar os cenários do seu mercado muito rapidamente. Ou seja, a verdade do passado não necessariamente serve como premissa para o futuro.

Entender um pouco sobre futurismo e o impacto de novas tecnologias é fundamental para o empreendedor guiar a sua empresa em um ambiente cada vez mais volátil e complexo.

Assim apresento a minha leitura sobre as 9 tendências tecnológicas da próxima década!

O artigo é praticamente um TCC 🙂

1. Olá, Robôs!

Robô Spot em Cingapura Durante a Pandemia
Robô Spot em Cingapura Durante a Pandemia

Em breve, praticamente toda empresa terá seu próprio robô.⠀

Em 2018, o Boston Dynamics, a mais avançada empresa estado-unidense de engenharia robótica, começou a vender seu robô quadrúpede chamado Spot para fins comerciais e não militares. ⠀

Enquanto isso, O AWS RoboMaker da Amazon foi criado para ajudar as empresas a testar aplicativos inteligentes de robótica em escala usando computação em nuvem. ⠀

Hoje já é possível construir robôs inteligentes e de baixo custo, pois é possível manter o “cérebro” dele na nuvem (cloud computing). O “cérebro” consiste de centros de processamento de dados, bases de conhecimento, planejadores de tarefas, aprendizagem profunda, processamento de informações, modelos de ambientes, suporte de comunicação e etc…⠀

2. Você sabe o quanto está sendo pontuado? E quanto sua vida já está sendo influenciada por isso?⠀

Centenas de empresas já criam scores para seus clientes. Mas como elas fazem isso?

No Brasil conhecemos bem o Score da Serasa, que basicamente é uma nota de 0 a 1000 que reflete seu comportamento como consumidor/pagador.

Muito além disso, minera-se milhares de dados, incluindo quais aplicativos você tem no celular, quantas vezes você abre cada um, quais dispositivos você usa, onde gasta seu tempo, por onde anda, com quem anda, que tipo de comida você pede e até informações e mensagens enviadas aos motoristas do Uber e aos hosts do Airbnb.

Nossos dados estão sendo extraídos, refinados e produzidos com o intuito de facilitar a tomada de decisões em nosso nome, para assim recebermos ofertas mais adequadas a nossa capacidade financeira e estilo de vida, sejam produtos ou serviços, e também em nome da “segurança”.

Estamos entrando numa era de determinismo algorítmico. Cada vez mais a Inteligência Artificial fará escolhas por nós sem que nos demos conta.

Alguns se assustam com os sistemas nos classificando, especialmente sem poder entender nossas histórias sutis, circunstâncias especiais e características únicas da nossa humanidade.

Outros defendem que os algoritmos são capazes de antever decisões humanas, baseados em comportamento repetidos, e assim oferecer mais qualidade de vida e conveniência. 

Por exemplo: “a tendência do João é, após uma semana cheia de trabalho, abrir uma cerveja e pedir uma pizza”. Então talvez ele já possa receber a propaganda de um combo na sexta-feira às 18:45.

Ou, se a Maria for casada, e andar pesquisando sobre advogado de família, talvez seja hora dela receber algumas ofertas de apartamentos.

Já parou para pensar se o que você anda lendo na web é realmente o que você decidiu ler no dia, ou se é mais um conteúdo relacionado ao que você já concordava, e de acordo com as suas buscas e preferências antigas?

Sobre isso, recomendo o documentário The Social Dilemma da Netflix

3. Biologia sintética

Foto do Impossible Burguer
Impossible Burguer

A biologia sintética envolve a criação de um organismo que ainda não existe na natureza, e algum dia ajudará a reparar genes defeituosos, livrar o planeta de toxinas, destruir células cancerígenas, ajudar a produzir em massa proteínas para o nosso consumo e etc…

Medicamentos sintéticos, micróbios e alimentos se propõe a resolver alguns dos nossos problemas atuais de saúde.

Também pode ser a chave para um planeta mais saudável, visto que a produção de carne vermelha é apontada como a principal culpada pelos danos ao meio ambiente, se considerarmos toda a cadeia de produção.

Por exemplo, hoje já é possível comer um bife suculento grelhado com perfeição, com gosto de carne, porém vegano, feito de vegetais e proteínas.

Há muita atividade nesse campo e muitas novas tendências, o relatório da Future Today Institute dedica uma seção inteira à biologia sintética.

4. Deep fakes

Deep Fake com Presidente Trump

Nos próximos anos veremos uma série de ferramentas para nos conferir confiança aos conteúdos, mas também um aumento nas tentativas de manipulá-la.

É nesse sentido que devemos prestar atenção ao surgimento dos deep fakes.

Já é possível criar um vídeo com o seu rosto e voz iguais aos seus por inteligência artificial, e usá-los para fraudes.

Com essa tecnologia, você consegue criar o seu irmão gêmeo digital, fazer ele executar ações e falar com a sua voz.

Foi o que fizeram com Trump e Obama na web…

Em paralelo, veremos nos próximos anos um grande ecossistema de segurança sendo desenvolvido, buscando trazer legislação e segurança para coibir esse tipo de ação maliciosa.⠀

5. A agricultura está no foco da tecnologia

É isso mesmo, algumas das maiores empresas de tecnologia do mundo como Amazon e Microsoft, estão entrando no ramo. A Microsoft através do projeto Farmbeats pretende modernizar a agricultura, combinando o uso de múltiplos sensores (umidade do solo, temperatura), com drones para análise de imagens, dados históricos de clima e previsão, para permitir que o agricultor tome as melhores decisões sobre quando e como plantar. O Piloto já roda em duas fazendas americanas.

Jeff Bezos, da Amazon, investiu na agricultura vertical através da startup Plenty, mais um sinal de que o setor vem se mostrando um mercado cada vez mais promissor.

A Startup não utiliza pesticidas, herbicidas e fertilizantes. O sistema usa milhares de câmeras e sensores infravermelhos para coletar dados nas fazendas analisadas usando o aprendizado de máquina para otimizar o crescimento.

A startup, de apenas cinco anos, promete produzir frutas e legumes usando menos de 5% da água e 1% da terra necessária na agricultura tradicional, usando a agricultura vertical em torres super altas.

Quem também está no ramo é Kimball Musk (irmão de Elon Musk), cofundador e executivo da Square Roots, empresa que produz vegetais e plantas em pleno ambiente urbano e dentro de contêineres. Usando técnicas de agricultura vertical (hidroponia, iluminação em led e climatização artificial) a empresa alega ser possível produzir de forma sustentável e escalável, vegetais fresquinhos perto da sua casa, mesmo que ela seja em centros urbanos como New York.

Com certeza está aí uma oportunidade de empreendedorismo!

6. Guerras tecnológicas

Stop Killer Robots

Nossas futuras guerras serão travadas em código, usando dados, algoritmos e inteligência artificial como armas poderosas.

Uma ciberguerra pode, por exemplo, destruir sistemas essenciais de infraestrutura de um país, tais como, hidrelétricas e redes de distribuição, sem disparar uma única bala. Há quem diga que já estamos vivendo elas. Outros afirmam que até hoje somente ocorreram ciberataques pontuais, mas nada que possa ser relacionado a um estado contínuo de guerra.

A ordem global atual está sendo moldada cada vez mais pela capacidade de lidar com a inteligência artificial, ou seja, por países como EUA, China, Israel, França, Rússia, Reino Unido e Coreia do Sul.

Esses países também estão desenvolvendo sistemas de armas (Armas de verdade) autônomas. Aviões Drone, tanques, submarinos e que antes precisavam de humanos guiando, agora podem ser comandados à distância sem um “piloto” presente.

Alguns defendem que essas armas salvarão milhares de vidas, pois a batalha ficará somente no campo militar, evitando a perda de vidas inocentes. Outros grupos afirmam que elas são uma séria ameaça a vida na terra.

Uma tendência polêmica, não?

7. Cloud computing e Edge computing

Google Sycamore Computador Quântico
Google Sycamore - Computador Quântico

Já ouviu falar em QUBITS? Se não ouviu, provavelmente ouvirá nos próximos anos.

A Computação quântica (quantum computing), a computação de ponta (edge computing) e a computação em nuvem (cloud computing) são fortes tendências.

A lei de Moore, criada na década de 60 dizia que o poder de processamento dos computadores dobraria a cada 18 meses, e vem se provando desde então.

Em outubro de 2019, o google anunciou ter atingido a “supremacia quântica”, indicando aquele momento da civilização em que os computadores se tornaram tão (ou mais) competentes quanto os seres humanos.

Um computador quântico (sycamore), que precisa ser mantido dentro de um tubo com temperatura negativa, resolveu em 2019, em pouco mais de 3 minutos, um cálculo que o computador mais rápido até então resolveria em 10.000 anos.⠀

Mas para que serve? Eis alguns exemplos:

Acelerar exponencialmente a descoberta de novos medicamentos;⠀
Criar cadeias de logística e de abastecimento ultraeficientes;⠀
Isolar os principais fatores de risco para fazer melhores investimentos, seja em ações, ou no mercado imobiliário.

Entre MUITOS outros..

Veremos nos próximos 18 meses um avanço de tecnologia relativo ao que vimos nos últimos 50 anos.

A computação de ponta permitirá, por exemplo, carros autônomos muito mais eficientes, visto que o processamento de dados pode ser feito no próprio veículo, sem depender de processamento em nuvem, o que gera atraso (delay). A computação de ponta está diretamente ligada com ao 5G e IOT’S.

Minha dica: Estude. Busque entender os impactos disso no seu negócio. Comece a diferenciar pensamento linear de pensamento exponencial.

Cuidado ao gerir sua empresa com olho no retrovisor. Ou seja, olhar para o que aconteceu no passado, e tentar prever o futuro com base nas mesmas premissas é um risco danado.

8. Casas inteligentes

Família Jetson

As casas inteligentes estão prestes a serem massificadas. Que tendência de tecnologia é essa?

Em breve, toda casa terá uma assistente pessoal (alexa e etc..)

Aceleradas pela IA, IOT’s e 5G, as casas passam a ter acesso por smartphone, o que confere mais segurança e comodidade. Além disso, terão controle por voz de microondas, geladeira, ar condicionado, luzes, e até panelas!!

Todos esses dispositivos vem sendo fabricados – e precificados – para as massas.

Os robôs, que antes somente víamos em desenhos como o dos Jetsons, passam a fazer parte da nossa vida, e em breve não nos imaginaremos mais sem eles, assim como aconteceu com os smartphones, que hoje são peças indispensáveis.

Nossas casas adotarão aos poucos múltiplos sensores, câmeras e microfones. A infraestrutura de rede de próxima geração (5G) deve acelerar a adoção.

O mercado global de dispositivos para smart homes pode chegar a $ 214 bilhões em 2025.

Isso tudo deve acender ainda mais a discussão sobre coleta e uso de dados!

As emissões digitais de dados a partir da evolução das nossas casas (smart homes) será cada vez mais um tema a ser explorado, bem como, um mercado gigantesco.

9. Exploração Espacial

2020 está sendo um grande ano para exploração fora do nosso planeta.

Um dos principais eventos foi o envio e retorno com sucesso de dois astronautas pela SpaceX, empresa do bilionário Elon Musk. Essa foi a primeira expedição tripulada dessa empresa que tem quebrado paradigmas no setor, e também marcou a primeira expedição tripulada a partir dos EUA desde 2011.

O avião espacial da Virgin Galactic também pode estar pronto em 2020 para levar passageiros ao espaço, mais de uma década depois do que previa o bilionário fundador da empresa, Richard Branson.

Outra iniciativa privada que merece atenção é a empresa Blue Origin, de Jeff Bezos (homem mais rico do mundo).

Além delas, os países Russia, China e Estados Unidos continuam liderando a corrida espacial frente aos demais.

Tenho observado projetos que incluem exploração de todas as formas, satélites que prometem disponibilizar internet ultrarrápida para todo o globo (sugiro conhecer o programa starlink do Elon Musk), bem como, energia atômica, agricultura e moradia em outros planetas.

Estimativas avaliam atualmente a indústria espacial em $330 bilhões, e isso pode dobrar até 2026.

Essa foi a minha leitura sobre as 9 tendências tecnológicas para essa década, extraídas do relatório anual da Future Today Institute.

E eu reforço a minha sugestão de que os empreendedores entendam rápido como começar um processo para automatizar TUDO que for automatizável. Pois é verdade, todas as posições de trabalho manual serão automatizadas. Diante disso, as empresas tendem a oferecer cada vez mais experiências de alto valor aos seus clientes, cobrando custos cada vez menores e para se manter competitivo nesse jogo é fundamental investir pesado em automação. As empresas do futuro deixarão o toque humano somente onde for necessária a presença da empatia.

A autora deste relatório é a futurista Amy Webb. Ela costumava apresentá-lo no famoso evento de tecnologia SXSW, mas em 2020 foi online. Recomendo fortemente conhecer esse material!

O Future Today Institute cria um estado de prontidão dentro das organizações para que os líderes possam gerenciar a transformação digital, interrupções, novas tecnologias e automação da força de trabalho baseadas em suas previsões/tendências. O objetivo é do instituto é ajudar os líderes e suas organizações a se prepararem para futuros complexos.

Sobre o autor

Lucas Madalosso

Lucas Madalosso

Referência Nacional em Transformação Digital do Setor Imobiliário. Lucas fundou e foi CEO da Terraz Aluguel Digital. Hoje atua como mentor e investidor de Proptechs
Lucas Madalosso

Lucas Madalosso

Referência Nacional em Transformação Digital do Setor Imobiliário. Lucas fundou e foi CEO da Terraz Aluguel Digital. Hoje atua como mentor e investidor de Proptechs

Continue explorando..