Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

Inovação, Transformação Digital e Plano de Ação: você realmente sabe a diferença?

Lucas Madalosso

Lucas Madalosso

Entender esses três conceitos de forma clara pode parecer simples, mas apenas os melhores negócios imobiliários conseguem tangibilizar essa diferença na sua operação e se tornarem adaptáveis às mudanças do mercado.
Fotografia de Matt Ridley

Esses conceitos já não estavam superados?

Para alguns sim, mas ainda noto muita confusão entre eles. Além do mais, por considerar este entendimento fundamental, uma espécie de ponto de partida, resolvi começar minha participação aqui no Blog do Bloco desta forma.

First things first..Conceituando inovação, ao meu ver são as evoluções em um produto ou serviço, com o objetivo de melhorar a percepção de valor do cliente, e com isso gerar mais riqueza (riqueza não somente no sentido $).

Tá mas o que tem de novo nisso? Nada. É importante lembrar que a inovação está presente no dia dia dos empreendedores desde a invenção da roda (na verdade até antes, mas a roda é um bom exemplo), impondo a eles que se adaptem ao fato novo.

Mas e por que estamos falando tanto disso atualmente? Por que nos últimos anos a maioria das inovações tem base tecnológica. Opa! Aqui o assunto começa a tomar uma nova forma.

Hoje qualquer startup pode inovar, e assim desafiar os líderes de mercado em todos os sentidos. E por que isso ocorre hoje e não acontecia antes? Por causa do aumento da capacidade computacional, inversamente proporcional ao declínio do custo da tecnologia.

É a tal da lei de moore que chama, certo? Sim.

Antigamente a velocidade do surgimento de inovações que impactavam os negócios era muito lenta e pouco frequente. Hoje elas surgem a todo momento impondo às empresas a necessidade de constante adaptação. E estamos somente no começo, pode apostar. Veremos nos próximos 5 anos o avanço relativo aos últimos 50 anos (Essa entrevista é fantástica e aborda isso.)

Como a Inovação "Impacta Negócios"

A inovação muda os comportamentos dos nossos consumidores, ou seja, toda vez que uma inovação “dá certo”, nossos clientes mudam suas expectativas, passando a esperar da empresa que se adapte a ela.

O Instagram

Vamos pegar o Instagram como exemplo:

Nascido em 2010, e adquirido pelo Facebook em 2012, a ferramenta nos últimos anos se tornou a queridinha das redes sociais. 

O impacto disso nos negócios foi total. A rede mudou a forma com que as pessoas se relacionam digitalmente e conquistou uma audiência que passou a gastar horas e horas por lá. No início, são as gerações mais novas que se tornam adeptas e logo em seguida as demais gerações vão atrás (os mais jovens mal sabem o que foi o facebook).

Qual empresa não quer estar onde os consumidores estão?

O “insta” também mudou a forma como as empresas e profissionais se comunicam com seus clientes (blog), a forma de se fazer marketing digital e assim por diante.

A partir daí, são as empresas que precisam transformar seus processos e produtos para adotar o Instagram.

A inovação como manutenção da competitividade

Recapitulando, a inovação é uma mudança na proposta de valor de um produto/serviço, isso significa que a partir do momento que ela gera valor na vida das pessoas, e estas a adotam, principalmente as gerações mais jovens, passa-se a exigir das empresas que se adaptem a essa inovação/realidade. 

Não se trata de a empresa “entrar na moda” das tecnologias, trata-se de uma perda real de contato com os seus clientes e as suas novas preferências. 

Outro ponto fundamental a ser considerado, é que muitas destas inovações, se bem entendidas e adotadas, geram maior eficiência para as empresas de modo geral (menos custos e mais velocidade).

Ou seja, estamos falando de dois grandes motivadores macro: 

  1. A nova experiência do cliente
  2. A eficiência da empresa.

Para explicar estes dois grandes motivos, preciso voltar ao exemplo da roda. Eu duvido que algum passageiro ainda quisesse andar com algum meio de locomoção que não tivesse pelo menos um belo par de “rodas redondas” após a sua invenção (experiência exigida pelo cliente mudou). E já pensou no aumento de eficiência e no diferencial competitivo de quem a descobriu e adotou antes?

E aqui entra então a transformação digital

A Transformação Digital

A transformação digital é o momento em que a empresa se adapta à inovação de base tecnológica. É importante repetir que não se trata de adotar toda e qualquer inovação, mas sim aquela que gerou valor, fez sentido, para seu cliente e/ou que pode te trazer um diferencial competitivo em termos de eficiência. 

Voltando ao exemplo do instagram, a empresa substituirá seus formatos antigos de anúncio/propaganda, por ads no insta. Também passa a se comunicar e se posicionar por lá, pois é onde seus clientes estão agora. 

Ocorre que a empresa pode se adaptar ao insta de duas formas. A primeira delas é realizando a verdadeira transformação digital. 

Conte-me mais sobre isso...

Não pretendo, nem conseguiria esgotar o assunto num único artigo. No entanto, a verdadeira empresa transformada digitalmente é aquela que preparou seu time, sua cultura, seus processos e principalmente seus comportamentos, para entender quais tecnologias devem ser adotadas, sabendo fazer isso com o menor esforço de tempo e investimento

O processo leva quanto tempo?

Só sei afirmar, pela experiência que vivi liderando a Terraz, que será uma longa e complexa jornada, cheia de erros, medo e ansiedade. 

No entanto, o resultado compensa.

Quem atravessa essa arrebentação, normalmente se torna altamente adaptável a praticamente qualquer desafio que um mercado em constante transformação te imponha. 

São empresas que sabem usar os feedbacks dos seus clientes para evoluir. 

Empresas que aprendem como lançar MVP’s, e por que é tão mais inteligente/barato/eficaz lançar rápidos produtos/serviços, mesmo que protótipos precários, para somente chegar na versão “ideal” com base nas iterações com seus clientes

Ou seja, entenderam a cultura do “cliente no centro” e sabem usar ela como alavanca. 

No entanto, o que a maioria dos empresários estão buscando em cursos, palestras e workshops são a segunda forma de se adaptar, que são os planos de ação. 

 

Plano de ação não é transformação digital

Lembra do exemplo do instagram? Cursos que se chamem “os 7 passos para anunciar no instagram”, “o passo a passo para adotar o instagram na sua empresa”, ou “os 3 melhores softwares para tal coisa”… são guias, receitas, passo a passo… 

Todos esses materiais têm o seu valor, pois trazem resultado mais rápido do que o longo processo de mudança de cultura e comportamentos requeridos para a verdadeira transformação digital.

Os dois maiores problemas aqui são: 

  1. Mudança apenas pontual: Você acaba não preparando a estrutura da sua empresa para ser apta a adotar toda e qualquer inovação que for importante.
  2. Sempre um passo atrás: Você estará sempre dependente que outras empresas testem e comprovem eficácia de uma inovação, para só então você fazer a adaptação.

Para finalizar nossa reflexão, pegando o principal exemplo deste artigo (instagram), me responda:

Quanto tempo levamos para sair dos anúncios impressos para os anúncios digitais?
E depois que surgiram os anúncios digitais, quantas formas de anunciar novas já surgiram?

Do Orkut pro Facebook levou bastante tempo, certo? E do Facebook até hoje, quantas redes sociais relevantes em nossos negócios surgiram?

Empresa que entende transformação digital e desenvolve uma cultura de testes, sabe como estar sempre testando tudo que há de mais novo, pois os testes são rápidos e baratos. Como consequência disso, identifica rápido o que gera valor, e descarta na mesma velocidade aquilo que não gera, estando assim sempre um passo à frente dos seus competidores.

Por isso eu volto ao início do artigo, e friso a importância de entender a diferença entre os 3 conceitos, estabelecendo clareza de onde sua empresa está e o que você, empreendedor, espera dela.

No próximo artigo explicarei melhor por que sou um ativista em prol da transformação digital, e por quê o processo de mudança de comportamento é vital para as empresas hoje.

Sobre o autor

Lucas Madalosso

Lucas Madalosso

Referência Nacional em Transformação Digital do Setor Imobiliário. Lucas fundou e foi CEO da Terraz Aluguel Digital. Hoje atua como mentor e investidor de Proptechs
Lucas Madalosso

Lucas Madalosso

Referência Nacional em Transformação Digital do Setor Imobiliário. Lucas fundou e foi CEO da Terraz Aluguel Digital. Hoje atua como mentor e investidor de Proptechs

Continue explorando..